segunda-feira, 29 de junho de 2009

Another Part of Cullen - 5º Capitulo.


Hey Twilighters , deixo aqui mais um capitulo da minha fic "Another Part of Cullen".
Peço-vos que comentem a fic para saber a vossa opinião sobre o meu trabalho.

Se não acompanham a fanfic desde o inicio dirijam-se à etiqueta das fanfics e vejam lá todos os capitulos anteriores.

Espero que gostem ;D



Andreia TC'





Capitulo 5 – Caçada

Tocou para a entrada, olhei nos olhos do meu irmão, e reparei que ele também fixava os meus, ficámos assim uns momentos, como se estivéssemos a falar por transmissão de pensamentos, sei que da parte de Edward isso acontecia, mas na minha era mesmo pelo facto de conhecer o meu irmão como a palma da minha mão.
Levantei-me da cadeira da mesa onde habitualmente nos sentávamos e dirigi-me para o corredor das salas de aula, senti a presença de mais cinco vampiros atrás de mim, pelo qual, um deles me meteu a mão no ombro, fazendo-me automaticamente virar para trás. Era a Rosalie, com o seu cabelo loiro meio ondulado, comprido, e com uma beleza incontornável.
-Está tudo bem? – Perguntou ela com um ar preocupado. Eu era uma das únicas pessoas com as quais Rosalie era amável, por vezes também conseguia ser má, mas eu sei que ela também me considerava a sua melhor amiga.
-Espero que sim, estou preocupada em relação ao Edward só isso…
-Hmm… Estás tu e estamos todos, não sei como é que ele foi deixar que isto acontecesse, com uma rapariga insignificante como aquela.
-Ele não tem culpa, por ele ser o que é, é que tem aquele instinto e aquela sede, não porque queira! – E eu sabia que a Rosalie entendia bem ao que me estava a referir, pois de todos nós, era a ela que custava mais aceitar o que éramos.
-Pois, compreendo que sim, mas acredita, depois disto, continuo a acreditar que ela ainda nos vai trazer problemas…
Desta vez não podia ripostar, não podia ter a certeza de que isso não iria acontecer, por isso entrei na sala de cálculo, e preparei-me para mais uma hora de aborrecimento total.
* * *
Estive a aula toda a especular o que se passava numas salas abaixo, e finalmente a aula tinha acabado. Levantei-me e dirigi-me à sala de biologia. Mas para meu espanto, foi no caminho que encontrei algo do qual não estava à espera. O Edward, e a nova aluna a falarem juntos aos cacifos. Fiquei abismada com o que vi, não esperava que algo assim acontecesse, não que não fosse bom, pois era sinal que tudo tinha corrido bem, mas por outro lado… Não sei era bom termos assim tanto relacionamento com humanos, o único de nós que o podia fazer sem quaisquer problemas quer de perigo, quer de revelação da nossa verdadeira identidade, era o Carlisle, e de certa forma eu também, pois como ia muitas vezes com o Carlisle para o hospital, tinha um grande autocontrolo e cuidado, mas nunca arriscava demais.
Reparei que a conversa deles continuava, pelo que segui para a cantina. Entrei e dirigi-me para a mesa onde os meus restantes irmãos já se encontravam.
-Onde está o Edward? – Disse a Alice olhando para mim com admiração.
-Nem vão acreditar…
-O que se passa?! – Perguntou o Jasper também curioso.
Nesse momento oiço a porta da cantina a abrir, e era ele quem lá vinha.
-Perguntem-lhe! – Disse eu abanando a cabeça na direcção de Edward. Não tinha um espelho à frente mas podia calcular que a minha expressão não era a mais amigável.
Sentou-se junto a mim na mesa, como habitualmente acontecia.
-O que se passa? – Sussurrou-me ao ouvido.
-Não vamos falar aqui! Falamos mais logo.
Ele já sabia do que se tratava… Por vezes odiava que ele me lesse a mente, mas não podia fazer nada contra isso.
Durante o resto do almoço não disse uma única palavra, e reparei que na nossa mesa apenas quatro vozes melodiosas se ouviam, a de Jasper, Alice, Rosalie e Emmett, pois a de Edward também não se pronunciara uma única vez. As minhas aulas e as de Emmett já tinham acabado, pelo que fomos os dois juntos para casa no seu jipe.
-Olha, o que é que se passou com o Edward afinal? Não percebi… -Interrogou-me Emmett enquanto colocava as mãos no volante e os pés no acelerador.
-Ah pois, tu não sabes… Ele e a nossa a rapariga, parece que andavam a conversar!
-O quê? A sério?! Não parece nada do Edward, ele tenta-se sempre afastar dos humanos, sempre tão cauteloso, e mete-se a falar com uma humana, principalmente aquela humana… Ele ia deitando a nossa vida a perder por causa dela!
-Pois eu sei, imagina o meu espanto quando vi aquela cena toda no corredor dos cacifos.
-Imagino que sim, principalmente tu que és a super-protectora do Edward, conheço-te bem Sidney, sei como és… E para além disso, se ele a mordesse, ali à frente de tudo e de todos, ir-nos-ia denunciar, e iria meter a intervenção dos Volturi, o que não era nada agradável.
-Pois, era muito mau mesmo, só gostava de receber uma visita dos Volturi por causa do Caius, ele é meu padrinho para todos os efeitos, gosto bastante dele, mas há outros que não suporto como o Aro ou a Jane…
-Pois, calculo que sim.
-Enfim! Bem, mudando de assunto… Tenho de ir caçar… Queres vir comigo?
-Claro! Também já começo a precisar…
-Estava a pensar assim nuns ursos da montanha, que me dizes?
-Parece-me óptimo! Então passamos em casa para avisar a Esme e depois vamos, já sabes como é que ela é, mãe galinha.
-Mãe galinha mas é muito amável, e ambos sabemos disso.
-Muito mesmo devo muito àqueles dois!
-Completamente… O Carlisle e a Esme são duas das pessoas mais importantes na minha vida, criaram-me como os meus pais nunca o puderam fazer – Ao dizer isto senti a emoção vir ao de cima, era muito complicado para mim saber que os meus pais tinham morrido devido a uma estúpida doença.
-Bem, não vamos agora começar com sentimentalismos… - Disse o Emmett já começando a desviar de assunto, ele não era dado a sentimentalismos.
Estávamos a chegar à esquina que dava acesso à entrada da nossa casa, a uma entrada que eu achava linda, aliás eu achava aquela casa um sonho, digna de um filme, muito ampla, moderna, e por vezes mal podia imaginar que morava ali, por vezes pensava que vivia num conto de fadas, onde por vezes em vez de ser a fada, era a bruxa má, neste caso a vampira má, que mata tudo e todos sem piedade dos inocentes… Estes eram pensamentos que me passavam pela cabeça muitas vezes, por vezes verdadeiras parvoíces, mas nas quais eu acreditava fielmente neste meu pequeno mundo de luz e escuridão.
Entrei em casa atrás de Emmett, apareceu logo o corpo da mulher que me tinha criado, Esme, com cabelos cor de avelã e com aquele olhar doce que tranquilizava qualquer um.
-Mãe vamos caçar… - Disse eu chegando-me perto dela para lhe dar um leve beijo na face – Vou ligar ao pai a dizer que hoje não vou ter com ele ao hospital.
-Está bem querida… Pois liga ao Carlisle para o avisares!
Afastei-me de dois dos membros da minha família, encostando-me à janela a olhar o vazio com o telemóvel na mão a procurar o número do meu pai… Finalmente encontrei, esperei cerca de dois segundos até do outro lado se ouvir uma voz tão suave como seda.
-Estou?! – Exclamou a pessoa do outro lado.
-Pai é a Sidney!
-Como estás querida?
-Estou bem. Olha era só para avisar que hoje não vou ter contigo ao hospital porque vou caçar com o Emmett.
-Ah tudo bem, vai lá então, voltam amanhã de manhã?
-Creio que sim!
-Muito bem, toma cuidado, tu e o teu irmão! – Eu podia ter 1000 anos, que o Carlisle iria sempre dizer-me para ter cuidado.
-Ok pai, vá agora tenho de ir, beijinhos, adoro-te!
-Também eu filha.
Desliguei o telefone, e coloquei-o no bolso das calças que nesse dia eram de ganga. Voltei para junto de Esme e Emmett que estavam a conversar mas não percebi bem o assunto.
-Vamos Emmett?
-Vamos Sidney!
-Adeus mãe, até logo! – Nunca dizíamos “até amanhã” não fazia sentido para quem não dormia, visto que só íamos voltar na manhã seguinte.
-Adeus queridos! – Disse Esme acenando-nos.
Saímos porta fora à velocidade de uns furacões, próxima paragem, montanha!

3 comentários:

Maria TC disse...

Eu sei que já publicas'te este capitulo á muito tempo, mas so agora é que o li xD
E amei, simplesmente é o melhor de todos. :DD

'Saimos porta fora à velocidade de uns furacões, próxima paragem, montanha!'
Amei xD

Tânia Isa disse...

Acho a tua ideia boa, mas repetes muito os detalhes, repetindo muitas vezes expressões, frases e adjectivos. tornas a personagem da sidney muito artificial. Espero que desenroles mais. Que mostres mais desta pesonagem sem ser o facto dela ser irma e super protectora de edward! Sei la poe-la a apaixonar.se pela bella tbm. qq coisa do estilo. diverte.te espero por mais e cada vez melhr!

Twilightsaga disse...

Adorei adorei adorei +.+